Grêmio diz que título este ano é sair forte da crise e descarta reforços


Fonte: UOL

Imagem: Lucas Uebel/Grêmio
O Grêmio dificilmente vai contratar reforços para a conclusão da temporada atual, independentemente de quando os jogos forem retomados. A leitura da diretoria é que a crise financeira torna o mercado da bola quase inacessível no restante de 2020. Além disso, o clube pretende sustentar discurso de solidariedade com os atletas do elenco — evitando negócios e investimentos logo após adiar vencimentos e abrir negociação para reduzir salários.



A posição até não é novidade, já vem sendo articulada nas últimas semanas. O fato novo é transformar a ideia em diretriz. Ou seja, praticamente botar no papel como protocolo.

Renato Gaúcho e o departamento de futebol continuam de olho em jogadores à disposição, mas por formalidade. Esse é o resumo de pessoas ligadas ao Grêmio e que frisam a política de não assumir despesas extras em meio à pandemia do novo coronavírus e até mesmo depois.

A postura de não contrair novos compromissos financeiros no restante do ano impacta diretamente o time titular que vai voltar a jogar o Campeonato Gaúcho — possivelmente a partir de agosto e ainda espera sinais sobre retorno da Libertadores e planos para o Brasileirão.

O Grêmio perdeu Caio Henrique para o restante de 2020. O lateral esquerdo teve retorno antecipado solicitado pelo Atlético de Madri, que havia cedido o jogador por empréstimo até dezembro. Mas deve apostar em Bruno Cortez e Guilherme Guedes até o final da temporada.

"Isso já está posto como uma espécie de comportamento, procedimento do Grêmio. O Grêmio pediu sacrifício ao grupo de atletas, possivelmente vamos pedir outro sacrifício por estarmos entrando na segunda onda da crise. Vamos terminar o ano com os jogadores que estão compartilhando esse momento de dificuldade conosco. Quem está conosco agora vai terminar o ano. E na verdade, entendemos que este ano já está perdido", disse Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, em entrevista à Rádio Guaíba. "O grande campeonato de 2020 é passar forte por esta crise", adicionou.



Em março, o Grêmio fez acordo com jogadores para adiar pagamento do direito de imagem. As luvas dos contratos assinados em janeiro e de documentos antigos que tinham parcelas previstas para a atual temporada também foram renegociadas. Neste mês, a diretoria abriu tratativas para redução salarial e ainda não conseguiu acordo com elenco.

Grêmio, Crise, Descarte, Reforços

Dois ônibus, protocolos e até sede no Brasileirão: veja como será o planejamento do Grêmio para treinar em SC

PDT coloca Bolzan como candidato ao Governo do RS em 2022; presidente do Grêmio se manifesta





Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

10/7/2020











9/7/2020








Treinos no CT Luiz Carvalho - 13:01 (0)

Atletas seguem com treino físico no CT Luiz Carvalho