Renato diz que aprende com mais jovens no curso da CBF

Treinador do Grêmio esteve ausente do jogo com o Brasil de Pelotas, mas retorna para o jogo com o Veranópolis, na próxima segunda-feira, na Arena


Fonte: Globo Esporte

Entre 15 e 24 de fevereiro, a casa de Renato Portaluppi é o Rio de Janeiro. Não a praia de Ipanema, pois ele não está de férias. O técnico do Grêmio passa os dias e as tardes na Granja Comary, sede da CBF, onde realiza o curso para obter a Licença A para treinadores.



O treinador entrou em acordo com a direção de que não faria as aulas durante suas férias, em dezembro. Combinou que realizaria nesta fase, em fevereiro, no começo da temporada. Afinal, é necessário ter esta titulação para comandar a equipe em jogos das competições da entidade.



– Sempre falei que iria fazer o curso. Não tenho nada contra. Pelo contrário, tem sido muito bom. É uma troca de ideias importante. Só que nas minhas férias, não – falou o técnico, em entrevista à reportagem do Sportv.

Ao lado do auxiliar Alexandre Mendes e de outros treinadores do futebol brasileiro, como Lisca e Dorival Júnior, Renato acompanhou todas as aulas até aqui. Ele destacou a “troca de ideias” como o fator mais importante do curso. Também garantiu que todos os profissionais são abertos ao compartilhamento de experiências e que não têm receio em falar sobre seus pensamentos acerca de sistemas de jogo e do futebol.

– É normal. Acima de tudo, são profissionais que se garantem, não têm esse problema. Essas trocas de ideia, de conhecimento, de mostrar a maneira que joga, é conhecimento. Mais importante é passar a nossa experiência aos mais jovens. É um aprendizado muito grande para eles. E, no dia a dia, a gente aprende. Não é porque são mais jovens que a gente não aprende – garante.


Renato perdeu somente uma rodada do Gauchão, contra o Brasil de Pelotas, no estádio Bento Freitas. Como Mendes seguiu com ele para o curso, coube a Victor Hugo Signorelli orientar a equipe à beira do gramado. O auxiliar, no entanto, era um porta-voz. O esquema era de Renato, que admite ter acompanhado o jogo e dado orientações por telefone:

– Defini tudo antes de sair de lá. No dia a dia, estava falando com eles também. Na hora do jogo também. Ligava, passava as informações para uma pessoa, e ela passava para o Victor Hugo. O importante é que a gente conseguiu um ponto, com equipe praticamente alternativa. É difícil sempre jogar lá.

Renato retorna para o jogo com o Veranópolis, na próxima segunda-feira, na Arena. Comanda o time do banco de reservas, a partir das 20h. Será o último compromisso do Tricolor antes da estreia na Libertadores, no dia 6 de março, contra o Rosario Central, na Argentina.



Grêmio, Renato, CBF

Leia também:Libertad é o adversário do Grêmio nas oitavas de final da Copa Libertadores

Leia também:Início irregular no Brasileirão causa incômodo no Grêmio



Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

25/5/2019









24/5/2019









FUTEBOL BRASILEIRO - 12:07 (0)

Poliana? O futebol no Brasil está evoluindo