José Augusto Barros: empate justo


Fonte: Diario Gaucho

Não esperava que, mesmo com time misto, o Grêmio tivesse grandes dificuldades contra o Brasil-Pel no Bento Freitas. Pois, o jogo da tarde de domingo mostrou ao Tricolor que temos de abrir o olho, em qualquer situação, no longo calendário que nos espera para esta temporada.



Não que o valente time do Brasil, único clube gaúcho que disputa a Série B em 2019, tenha levado grande perigo ao gol de Julio César. Longe disso. Mas fez aquele jogo perigoso, de time retrancado, que joga por uma bola – postura absolutamente justa, que pode complicar o Grêmio em alguma partida importante durante este ano.



Especificamente sobre o jogo e o empate em 0 a 0, confesso que esperava ver algo a mais de nomes como Montoya e Felipe Vizeu, que tiveram a oportunidade de sair jogando desde o início. O primeiro teve uma atuação bem discreta, enquanto o atacante teve algumas chances, mas acabou sendo substituído pelo técnico interino Vitor Hugo Signorelli, substituto de Renato, em aula na CBF, depois da expulsão de Juninho Capixaba. Mas temos de dar um desconto a ambos, pois jogaram em um time com pouco entrosamento.

Sem preocupação
Não é uma atuação que me gere grande preocupação, mas o alerta sempre tem de estar ligado. Certamente Renato viu o jogo lá do Rio de Janeiro. Espero que corrija alguns problemas. Outros, claro, são normais, frutos da decisão de escalar um time misto.

No fim, o que vale é seguir na liderança, com boa vantagem sobre os demais e com a defesa menos vazada.



Grêmio, Campeonato Gaúcho

Leia também:Libertad é o adversário do Grêmio nas oitavas de final da Copa Libertadores

Leia também:Início irregular no Brasileirão causa incômodo no Grêmio



Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

23/5/2019





22/5/2019