OFF: Dobradinhas de sucesso! Os craques 'por tabela' da Copa do Mundo de 2014

Grandes nomes do futebol internacional, que iniciaram a carreira com conselhos, dicas e ajuda de jogadores brasileiros, vão abrilhantar o Mundial no Brasil


Fonte: LanceNet!

Mais do que sediar a Copa do Mundo de 2014, o Brasil teve participação direta na formação dos atuais principais nomes do futebol internacional. Ex-jogadores brasileiros ajudaram com conselho e até mesmo dicas de moda.

Você sabia que Cristiano Ronaldo "aprendeu" a cobrar faltas com César Sampaio no Sporting (POR)? E que Benzema, que hoje chama atenção pelo poder de finalização, aperfeiçoou as jogadas aéreas com Cris no Lyon (FRA)? Conheça essas e outras "dobradinhas de sucesso".

FALTA, CABELO E BIGODE



Ex-lateral-direito César Prates jogou ao lado do craque português Cristiano Ronaldo no Sporting-POR entre 2001 e 2003)

"O Cristiano Ronaldo dizia sempre que seria o melhor jogador do mundo. Ele sempre batalhou por isso e já sabia que era um grande jogador. Mas como todo garoto ele tinha alguns problemas. Quando foi promovido para o time principal, ele mostrou personalidade, mas driblava muito, não tinha objetividade.

Ele tinha mania de pegar a bola e driblar todo mundo. Driblava, mas não finalizava, ficava correndo e rodando com a bola. Ajudei a corrigir isso. Cobrei mais objetividade dele, mais gols e pedi também equilíbrio.

Ao término do treinamos, o Ronaldo sentava no gramado para me ver cobrar faltas. Ele gostava do meu estilo, batida de chapa na bola. Ensinei isso para ele. Felizmente, eu era referência dentro e fora de campo.

Fora de campo, aliás, vale lembrar que ele já era vaidoso desde moleque. Eu tinha um cabelo cumprido e ruim, passa uma creme para deixar ele liso. O Ronaldo me pediu para usar o mesmo produto, porque o cabelo dele também era ruim. A gente fazia uma espécia de progressiva."

FICA QUIETO, DIEGO!




(Nem era zagueiro e capitão do Braga-POR em 2006, quando o hispano-brasileiro Diego Costa, ainda garoto, foi contratado pelo time português)

"O Diego Costa dormiu na minha casa nos primeiros meses de Braga. Ele não tinha dinheiro para comer, chorava e reclamava das dificuldades da carreira. Eu dizia que era para persistir no sonho, que não podia desistir. Felizmente, deu certo.

Dentro de campo, ele era abusado, partia para cima, não tinha medo do adversário. Ele era tão abusado que um dia baixei a porrada nele em um treinamento. Ele me colocou para correr e me driblou várias vezes. Cheguei nele e gritei: Pô, sou titular e você quer me f...? Quer fazer o treinador me tirar do time? (risos)

O grande problema do Diego é que ele vivia xingando todo mundo, não tinha muito respeito. Ensinei ele a falar menos palavrões. Hoje, ele apanha bastante em campo, ainda reclama, mas não é tão explosivo como antes."

PARCERIA DENTRO E FORA DE CAMPO



(Léo, ex-lateral-esquerdo e ídolo do Benfica-POR, foi companheiro de concentração do argentino Di María entre 2007 e 2009)

"Desde os primeiros dias deu pra perceber que o Di María era um jogador diferenciado. Ele demonstrava ter qualidade técnica e personalidade para suportar a pressão existente nos grandes clubes, o que é fundamental para fazer sucesso no futebol europeu.

Ele tinha alguma dificuldade na finalização, mas superou isso rapidamente. Passou a ser um dos principais jogadores do Benfica, tanto na armação de jogadas, como fazendo uma boa quantidade de gols.

Posso dizer que fui um dos responsáveis pela adaptação dele ao Benfica. Desde o início criamos uma forte amizade, tanto que éramos companheiros de quarto nas viagens e concentrações. Além disso, nas folgas, estávamos sempre juntos. Conheci todos os familiares dele. E uma curiosidade: o Di Maria gostava muito de brasileiros. Ficava mais com a gente do que com os outros argentinos do elenco"

FALTA DE EGOÍSMO



(Ex-meia Rodrigo Beckham chegou ao Everton-ING na temporada 2002/2003, a primeira do atacante inglês Rooney na equipe inglesa)

"O Rooney sempre demonstrou um enorme potencial no Everton. Ele tinha personalidade forte, era objetivo e finalizava muito bem. Mas faltava para ele ser um pouco mais egoísta, querer marcar mais gols. Dizia isso para ele.

Ele também era um garoto muito introspectivo. Aos poucos ele foi se abrindo, com a proximidade dos companheiros mais velhos. Acredito que todo jogador é produto do meio. O Rooney até melhorou, mas ainda vejo ele meio fechado"

BRINCADEIRAS DE HAZARD



(Emerson, hoje titular na lateral esquerda do Atlético-MG, atuou ao lado do belga Hazard entre 2006 e 2011 no Lille-FRA)

"Eu não tinha dúvida de que o Hazard seria um craque, que ele dificilmente ficaria muito tempo no Lille. Ele, ainda moleque, fazia jogadas que nunca tinha visto ninguém fazer. Já era um fenômeno, um jogador muito técnico e habilidoso.

Ele era brincalhão, gostava de dar apelidos, ria de todo mundo. Acho que a minha maior contribuição foi com a amizade e com as brincadeiras"

ESPELHO, ESPELHO MEU...



(Ex-meia Sávio era um dos destaques do Real Madrid-ESP em 1998, quando o atacante camaronês Eto'o surgiu para o futebol)

"Sempre me destaquei pela velocidade e pela habilidade. Essas também eram as principais qualidades do Eto'o no começo de carreira no Real Madrid. Acredito que pude ajudá-lo a aprimorar essas características. Ele vivia juntos com os brasileiros do nosso time, entre eles, o Roberto Carlos.

O Eto'o não era de fazer muitos gols também. Ele não era atacante e ainda voltava muito para marcar. Aos poucos ele foi assimilando que precisava ficar mais na frente, que precisava arriscar mais chutes"

QUEM É QUE SOBE?



(Cris, titular absoluto da defesa do Lyon-FRA entre 2005 e 2011, ajudou o atacante francês Benzema nas bolas aéreas)

"O Benzema já tinha uma qualidade fantástica quando subiu para o time principal do Lyon, mas não era bom de cabeça. Ele só chutava. Com o aval do treinador, eu mostrei isso para ele.

Ajudamos ele a se posicionar na área e cabecear.

A força física ele pegou na Espanha, atuando pelo Real Madrid. Na França ele se destacava mais pela habilidade mesmo. Hoje, fico feliz de ver que ele se tornou um grande jogador, uma referência na seleção francesa"

A UNIÃO FAZ A FORÇA



(Ex-atacante Fernandão, hoje comentarista, estava no Marseille-FRA na temporada 2003/04, quando o marfinense Drogba foi contratado)

"O Drogba chegou como promessa no Olympique de Marseille, mas logo mostrou força e qualidade. Ele tinha um físico monstruoso, era muito forte. Mas faltava confiança para ele se firmar. Isso ele conseguiu com apoio e amizade do grupo, que abraçou ele.

"Eu ajudei um pouco o Drogba, mas admito ele que me ajudou muito mais. A gente tinha quase a mesma idade. A qualidade dele era de inspirar qualquer um"

INDIVIDUALISMO PREJUDICIAL



(Ex-lateral-esquerdo Moreno, revelado pelo Corinthians, jogou com o chileno Alexis Sánchez na Udinese-ITA entre 2008 e 2009)

"O Alexis Sánchez era bacana, brincalhão, tinha uma grande qualidade, mas era individualista. Ele não tocava a bola nunca. A gente pegava muito no pé dele, dizia que ele precisava de duas bolas para jogar. Além disso, ele era meio perdido taticamente, não respeita a posição dentro de campo.

Na base da conversa e da cobranla, ele melhorou. A gente conversava bastante sobre isso. Hoje, no Barcelona, vejo que ele ajuda a marcar, solta mais a bola e ainda finaliza bastante"

VEJA: Clique aqui e veja as promoções que a Network BG preparou para você acompanhar todos os jogos da temporada

LEIA TAMBÉM: Após derrota no Ceará, Renato comenta sobre decisão contra o Flamengo: "Tudo pode acontecer"

Clique aqui e confira séries, comentários, filmes e tudo sobre futebol! Teste agora!<\a>



Comentários




Leia também

23/10/2019




22/10/2019