"Clubes deveriam criar estratégia para suprir a demanda por futebol" diz jornalista


Fonte: UOL

Após a reprise de jogos da seleção brasileira, a TV Globo passou a exibir no último fim de semana partidas históricas dos clubes brasileiros, com o Mundial do Corinthians em 2012, os títulos da Libertadores do Atlético-MG em 2013 e do Flamengo em 2019, a Copa do Brasil do Sport em 2008, entre outros, além dos previstos para este domingo, o que desperta uma demanda dos torcedores por jogos de futebol em tempos de pandemia.



No podcast Posse de Bola #33, o jornalista Mauro Cezar Pereira critica a falta de movimentação dos clubes para atender à demanda dos torcedores por futebol e aproveitar este fator com a criação de estratégias visando o retorno quando ele for liberado pelas autoridades competentes.

"Há uma demanda reprimida e o que eu não percebo, posso estar enganado, nos clubes e na CBF, a organizadora do Campeonato Brasileiro —que eu imagino, vai começar em algum momento —, não existe nenhuma estratégia para aproveitar isso, essa demanda reprimida", afirma Mauro Cezar.

"As pessoas querem ver seus times em ação. É legal ver o Campeonato Alemão? É ótimo poder ver futebol ao vivo novamente, mas é claro que os torcedores dos clubes brasileiros aguardam ansiosamente a volta dos seus times, porque é uma parada fora de hora e grande, longa, mais longa do que as férias dos jogadores, a gente tem aqui um mês e pouquinho e a bola volta a rolar. E estamos aí há dois meses praticamente sem futebol. Então, acho que esse é um ponto importante, existe essa demanda, não vai ter público, mas vai haver um interesse muito grande, talvez a audiência da televisão seja realmente significativa, o pay-per-view, apesar da falta de dinheiro para muita gente", completa o jornalista.

Uma crítica recorrente de Mauro Cezar desde a parada do futebol devido ao novo coronavírus é o fato de não haver nenhuma estratégia para benefício do sócio-torcedor, que paga um plano e está sem ver os jogos de seu time.



"Acho que os clubes tinham que começar a mapear, entender e montar estratégias, pensar no sócio-torcedor. Que benefício tem o sócio-torcedor hoje que se associa para ganhar para comprar ingresso? Não vai ter ingresso para jogo. Será que não dá para tentar fazer alguma coisa com ele, em parceria com a televisão ou com outros eventuais parceiros? Enfim, acho que esse é o trabalho que tem que ser desenvolvido, porque as pessoas querem ver seus times, isso é óbvio", finaliza o jornalista.

Grêmio, Clubes, Estratégia, Suprir, Demanda, Futebol


Grêmio divulga balanço financeiro dos meses de janeiro a março de 2020

Leia também: Grêmio quer fatia de R 120 milhões milhões de parceiros para vender Cebolinha ao Napoli





Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

24/5/2020







23/5/2020