Reclamações sobre o Jogo do Grêmio: Análise e Perspectivas de Melhoria

derrota do Grêmio expõe fragilidades defensivas e falhas na arbitragem, exigindo reflexão e mudanças urgentes


Fonte: -

Reclamações sobre o Jogo do Grêmio: Análise e Perspectivas de Melhoria

Não tem como não começar a falar da derrota do Grêmio sem citar a arbitragem. Isso porque foi um pênalti tão escancarado quanto aquele do Yuri Alberto diante do Corinthians. E, mais uma vez, o árbitro não deu. E olha que o VAR tentou ajudar. Nada. O mais maluco é que agora, acertadamente, a CBF testou o árbitro dizer no sistema de som o que ele pensou na marcação. E o Flávio Rodrigues de Souza teve a cara de pau de apontar que foi um lance acidental, que a bola bate acidentalmente no braço do carinha do Vasco. Não tem como concordar. Nem os vascaínos pensariam isso. Ok, teve um pênalti não marcado do Rodrigo Ely. Ele chutou as pernas do atacante do Vasco. E foi tão grotesco quanto. Até por isso, não penso que não dá pra se esconder atrás da arbitragem. Não é só isso. Afinal de contas, foi a terceira derrota em quatro partidas. Sendo a única vitória foi no Gauchão. Derrotas em Libertadores e Brasileiro. Não é pouca coisa não. A campanha da Libertadores tá ameaçada. O começo do Brasileiro já foi com derrota. Ou ligam o sinal de alerta ou vai ficar complicado salvar a temporada depois. Marquesín não passa nenhuma segurança. Ele se estica todo e não chega. E a sensação que fico é que ele se coloca muito pra um lado e depois não chega na bola. Ou seja, se posiciona mal. É justamente por isso que a gente olha ele se jogando, mas a bola passa. O cara tá muito deslocado, mais perto da trave do que do centro do gol. É óbvio que tem que fesim, ele ainda entra) nada fez no segundo. Nada absurdo, mas o Cuiabano dá sinais que tem futuro na esquerda. Se não voltar a lesionar, tem chance de sair coisa boa ali. Gente, sejamos sinceros, foi um jogo ruim. Principalmente no primeiro tempo. No segundo, ainda teve aquela posse de bola, tentativa de jogar, sem muitas chances claras de gol e tal. Então, jogo ruim do Grêmio. Se iludir com a arbitragem vai ser ainda pior. Ou começam a se mexer ou será tarde. Lucas Uebel/Grêmio

Imagem relacionada
Créditos da imagem: Fresh8

Só que o grande problema gremista é um só: como toma gol esse time. Desde o ano passado, todo mundo viu isso. E, por mais que o Villa tenha jogado bem, tá escancarada a necessidade de um primeiro volante na frente da zaga. Se o Renato não consegue organizar a cobertura e todo o sistema de marcação, então simplifica e coloca um camisa cinco ali. Quem? Olha, sinceramente eu não sei. Porém, do jeito que está, começo a pensar que um primeiro volante ruim já seria melhor do que jogar do jeito que estão jogando. Se não, vejamos, olha o que foi o Du Queiroz. O que ele foi? Não marcou e não armou. Muito menos foi motorzinho de meio-campo. Resumindo, jogando sem esse cara posicionado, tu não ganha um meia e ainda perde a tua proteção defensiva. Do jeito que tá, não há vantagem.

Todo mundo sabe que o Pepê não tá jogando o que se espera, mas a falta de posse de bola qualificada no meio pode ser um indicativo de que “ruim comigo, pior sem migo”, como dizem os mais velhos. Pepê ainda é o melhor que se tem. Seguindo nesta linha, cadê a armação de time do Cristaldo? Ou pelo menos cadê as pifadas do Cristaldo? Gente, para mim é muito claro. O Grêmio tem um segundo atacante. No máximo, um meia-atacante. Jamais um camisa 10 clássico argentino.

Imagem relacionada
Créditos da imagem: Fresh8


VEJA TAMBÉM
- O futebol não tem coração
- Detalhes da Camisa III do Grêmio para a Temporada 2024
- Ex-grêmio acerta transferência para rival da série A em negociação surpresa






Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

21/5/2024





20/5/2024