Empate "retrô" diz mais sobre defesas do que ataques de Timão e Grêmio

Falhas das duas retaguardas chamaram a atenção, e o placar poderia ser ainda maior.


Fonte: ge

Empate retrô diz mais sobre defesas do que ataques de Timão e Grêmio

O título desta análise pode soar ranzinza. É claro que a produtividade ofensiva de Corinthians e Grêmio na noite desta segunda-feira, em Itaquera, foi alta, mas basta assistir com atenção ao jogo e tentar entender os momentos de predomínio de cada equipe para chegar a tal conclusão. De qualquer forma, o 4x4 será lembrado por muito tempo pela quantidade de gols e reviravoltas ao longo da partida.

Os oito gols em pouco mais de 100 minutos de futebol representam a partida com mais gols desta edição de Brasileirão até aqui.

Escalações

Vanderlei Luxemburgo contou com as voltas de Fágner, Fábio Santos, Renato Augusto e Maycon. Todos iniciaram como titulares. Gil e Bruno Méndez foram os desfalques. Lucas Veríssimo e Caetano formaram a zaga. Para o lado esquerdo do ataque, Pedro foi o escolhido e Wesley ficou no banco.

Já Renato Gaúcho não pôde contar com Carballo. Nathan, que não jogava há mais de 40 dias, entrou no meio-campo. O setor teve o seu formato alterado. Ao invés de um losango, dois meias e dois volantes. Defendendo em linha e promovendo a flutuação dos meias para o centro quando a posse de bola era gremista, um formato de quadrado. Fábio ganhou a vaga de João Pedro na lateral-direita.

Como Corinthians e Grêmio iniciaram o duelo atrasado da 15ª rodada do Brasileirão 2023 — Foto: Rodrigo Coutinho

Como Corinthians e Grêmio iniciaram o duelo atrasado da 15ª rodada do Brasileirão 2023 — Foto: Rodrigo Coutinho

O jogo

Espaço para jogar foi o que não faltou na etapa inicial. Numa era de futebol com cada vez menos metros para as equipes trabalharem ofensivamente, Corinthians e Grêmio fizeram um ''enfrentamento retrô'' neste sentido. Entretenimento e bola na rede estiveram em alta. Cinco gols em 52 minutos, mudança de controle do jogo e um estádio pulsante antes do intervalo.

O Grêmio dominou os primeiros 25 minutos com movimentos de pressão na saída de bola corintiana. Gabriel Moscardo recebia acossado por Villasanti ou Pepê e não tinha a aproximação de ninguém por dentro. Nathan e Cristaldo bloquevam as linhas de passes verticais de Fábio Santos e Fágner. Suárez e JP Galvão faziam o mesmo com os zagueiros.

O Tricolor retomava a bola, na maioria das vezes no campo de ataque, e não tinha oposição dos donos da casa. Totalmente passivo na marcação, o alvinegro assistiu às aproximações que são a marca do time gaúcho, as trocas de passe curto com jogadores de qualidade, e quando se deu conta já perdia por 2x0.

Cristaldo e Nathan eram os principais destaques. Luís Suárez acrescentava de forma tímida, mas sempre precisa, e JP Galvão fazia o seu melhor jogo desde que chegou ao Grêmio. Do outro lado, Moscardo novamente sozinho tentando dar intensidade aos combates, lacunas grandes entre Fábio Santos e Caetano, pouca combatividade do restante do meio-campo.

Nathan e Suárez comemoram gol do Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

Nathan e Suárez comemoram gol do Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

A intensidade gremista caiu bastante com a vantagem no placar e o passar dos minutos, e o jogo virou totalmente a chave. Na metade final da 1ª etapa, era o Corinthians que explorava os muitos espaços existentes entre a linha de defesa e a de meio do Tricolor. Renato Augusto, Maycon e Rojas entraram no jogo, e Yuri Alberto começou a se destacar.

Com a pressão nula do rival na bola e jogadores pouco afeitos ao trabalho defensivo combatendo perto da área, como Nathan e Cristaldo, o Timão rodou a bola com velocidade e criou uma série de chances. Yuri Alberto esteve envolvido nos principais lances. Fágner e Fábio Santos aumentaram a efetividade, e até Lucas Veríssimo foi ao ataque marcar um dos gols.

O Grêmio protegeu muito mal também a própria área. Rodrigo Ely foi ponto negativo. Errou individualmente em dois gols do Corinthians. Fábio foi outro a não entregar um bom nível defendendo o seu setor.

No intervalo, Renato sacou os dois jogadores que mais tiveram dificuldades na segunda metade do 1º tempo. Cristaldo e Nathan deram vaga a Everton Galdino e Ferreira. O Imortal passava a ter dois jogadores habituados a recuar pelos lados para marcar, além de velocidade pelos flancos para puxar rápidas transições.

Gol de Yuri Alberto em Corinthians x Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

Gol de Yuri Alberto em Corinthians x Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

As mexidas de Renato causaram efeito imediato. Um pouco mais seguro sem a bola e com o gás renovado, o Grêmio conseguiu impor novamente seu estilo de posse no campo rival e virar a partida em 12 minutos. Everton Galdino entrou muito bem mais uma vez e Luís Suárez marcou um gol com a sua assinatura.

Giuliano e Wesley foram as respostas de Luxemburgo, e o mesmo efeito precoce foi visto no Corinthians. Por mais que o Imortal tivesse melhorado a parte coletiva para defender, havia uma distância enorme do que Yuri Alberto fazia individualmente em relação a Rodrigo Ely. Também pode se fazer a mesma relação entre Wesley e Fábio, e o rápido ponta serviu Giuliano para empatar.

Já sem forças para movimentar novamente o placar, Corinthians e Grêmio seguiram trocando ataques com bom nível de perigo até o fim, mas ficaram com o empate que muda pouco a situação de ambos na tabela de classificação.



VEJA TAMBÉM
- Ex-grêmio acerta transferência para rival da série A em negociação surpresa
- Grêmio anuncia retorno aos treinos da equipe feminina de futebol.
- Grêmio retorna aos treinos no CT do Corinthians






Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

19/5/2024

18/5/2024