"Para sair, é preciso entender que estamos na segunda divisão", alerta vice de futebol do Grêmio

Em entrevista exclusiva ao podcast GE Grêmio, Denis Abrahão abre o jogo sobre a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro


Fonte: Globoesporte.com

Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio
Uma das novidades recentes do Grêmio foi a mudança no comando do departamento de futebol. Denis Abrahão assumiu como vice de futebol na semana passada e cativou a torcida com seu discurso mais forte. O dirigente foi o convidado do episódio 112 do podcast GE Grêmio para falar sobre a briga contra o rebaixamento.



A entrevista foi rápida, já que Denis precisava ir ao CT Luiz Carvalho para uma reunião. A rota, aliás, tem sido atribulada.


Ele contou que tem desenhados na frente da mesa de seu escritório os números de pontos projetados para o clube evitar a Série B em 2022, mas entende que o Grêmio irá sofrer até o fim do Brasileirão.


"Cada um tem a sua previsão. A minha é que vamos sofrer. Gostaria que existissem coisas práticas, lógicas, mas (futebol) é totalmente ilógico. Não estou dizendo nenhuma novidade. Mas temos que cair na real: para sair da segunda divisão, temos que saber que estamos na segunda divisão. O que faz para sair? Se continuar como estava, vai cair. Temos que mudar", admitiu Abrahão.


Veja trechos da entrevista abaixo

Uma semana de trabalho de Vagner Mancini

"É um prazer muito grande trabalhar com o Mancini. Já tinha sido nosso jogador em 1995, eu era vice-presidente do Grêmio. Já era diferenciado, de altíssimo nível. Não tive surpresa nenhuma com esse profissional. Só ratificou meus conceitos que existiam e que permanecem os mesmos. Um grande caráter, uma grande pessoa, um grande profissional. Cresceu muito, é um grande treinador e vai ser um estupendo treinador no futuro".


Como o vestiário recebeu a mudança de discurso?

"Eu encontrei um vestiário normal. Abatido devido aos resultados, sem dúvida, profissionais sentidos com o momento vivido. E buscamos reanimá-los. Dar vida, dar tranquilidade, segurança. Falei que a responsabilidade fora do campo é toda minha, que dentro do campo sejam felizes, que joguem o que eles sabem. Se jogarem, não tenho dúvidas das vitórias. Os problemas que vierem são comigo. Não precisam se preocupar com nada. Não serei o super-homem que vai salvar o mundo. Mas deixei eles à vontade para fazer o que sabem fazer, que é jogar futebol. Não estou lá para atrapalhar, mas para administrar conflito e gerir pessoas. Ser um agente facilitador".


Bicho por jogo e premiação

"Quem disse, é mentiroso. Não existe bicho por jogo. Existe uma tratativa. Vou ter uma reunião com o presidente para decidirmos o processo por objetivo alcançado. Qual o nosso objetivo? Ficar na Série A. Alcançou, tem uma premiação. Vamos negociar o atingimento de objetivos. Em uma empresa, trabalho só por objetivos. Estou no escritório e na minha frente está o calendário dos jogos, o horário, a data, o local e as pontuações que entendo que venhamos a fazer. Vou dormir, sonhar e comer Atlético-GO até segunda. Não tem outro papo".


Razões para o Grêmio brigar contra o rebaixamento

"Porque erramos. Quando falo nós, é Grêmio. Sei que estamos sabendo os motivos pelos quais nós vamos vencer. Se não sabemos porque perdemos ou ganhamos, é perdedor. Desculpe. Tenho convicção. Tenho certeza que vamos sair desta situação, mas o futebol é ingrato, às vezes prega umas peças. Estou preparado para tudo. Quando assumi a bronca, o Grêmio estava na segunda divisão. Continua na segunda divisão. Para sair, é preciso entender que está na segunda divisão.


Se ficar sonhando em fazer 48, 52 pontos vai cair do cavalo. Estamos em um processo de retomada, vamos ter novas derrotas, mas sair desta situação. Tenho muita fé nisso. Assumi em situação muito difícil, não melhoramos em nada ainda. Temos que melhorar muito e somos sabedores disso.


Estamos trabalhando no detalhe. Por isso estou tranquilo. Se fosse torcedor, estaria muito preocupado, porque não sei o que está sendo feito. Mas, como dirigente, sei o que estou fazendo. Espero estar certo".


Situação até o fim do Brasileiro

Cada um tem a sua previsão. A minha é que vamos sofrer. Futebol não tem constância, uma mediana. Gostaria que existissem coisas práticas, lógicas, mas é totalmente ilógico. Não estou dizendo nenhuma novidade. Se continuar como estava, vai cair. Temos que mudar. Como? Aí tem vários aspectos.



Aspecto tático, técnico, físico, motivacional, de equilíbrio, sensoriais, comprometimento, união de grupo. Tudo isso está sendo trabalhado. Por isso não estou preocupado. Estou angustiado, ansioso, louco para chegar o jogo de segunda-feira. Mas antes do jogo temos que trabalhar muita coisa. É vencer ou vencer agora. Não temos outra alternativa".

#gremio #imortal #tricolor #brasileirao #rebaixamento

LEIA TAMBÉM: Veja os detalhes da provável saída Jean Pyerre do Grêmio para o Alavés

E MAIS: Diego Souza cogita adiar aposentadoria em caso de rebaixamento do Grêmio




Comentários



Paco Gera     

É isso ahí. Entender que estamos na segundONa, é primordial para sair... só não sei se dá tempo, mas nada de esmorecer... não tá morto quem peleia... valeu Denis Abrahão

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

3/12/2021



















2/12/2021