Contra o Athletico-PR, Grêmio busca primeira vitória no Brasileirão

Tricolor recebe o time paranaense neste domingo, às 16h, na Arena


Fonte: Gaúcha ZH

Athletico-PR / Divulgação / Divulgação
Depois de cumprir o objetivo na Copa do Brasil com a classificação para as oitavas de final no confronto com o Brasiliense, o Grêmio volta a campo neste domingo (13), às 16h, para enfrentar o Athletico-PR em busca da primeira vitória no Campeonato Brasileiro. O reencontro de Tiago Nunes com o clube que o projetou no cenário nacional será também a estreia do Tricolor na Arena na competição de 2021.



Até o momento, o Grêmio disputou apenas uma partida no Brasileirão. Foi a derrota para o Ceará, na Arena Castelão, a única na Era Tiago Nunes no clube. O treinador, no entanto, não comandou a equipe em Fortaleza porque havia testado positivo para covid-19. Ou seja, Tiago defenderá diante do Athletico-PR a sua invencibilidade na casamata gremista.


O jogo deste domingo será o primeiro de Tiago Nunes contra o ex-clube. No ano passado, ele foi demitido do Corinthians antes de reencontrar o Athletico-PR no Campeonato Brasileiro. Gaúcho de Santa Maria e com a experiência de ter rodado o Brasil trabalhando em mais de 20 clubes nas cinco regiões do País, o atual técnico gremista viveu em Curitiba a virada na sua carreira.


Curiosamente, a chegada de Tiago Nunes ao Paraná em 2018 se deu a convite de Paulo Autuori, então gestor do Furacão e que está novamente no clube, agora com o cargo de diretor técnico. A história é conhecida, de um título do Campeonato Paranaense com a equipe de aspirante do Rubro-Negro, Tiago Nunes assumiu o time principal ainda durante a temporada de 2018 e conquistou a Copa Sul-Americana. Em 2019, veio a Copa do Brasil na final sobre o Inter, no Beira-Rio.


Apesar de todo o sucesso, a saída do gaúcho da Arena da Baixada aconteceu pouco mais de um mês depois do título nacional. Após o treinador ter decidido não renovar o contrato com o clube para a temporada 2020 - já havia sido procurado pelo Corinthians -, houve um atrito com o mandatário do Furacão, Celso Petraglia, que chegou a publicar uma nota à época acusando o treinador de ingratidão.


Mesmo assim, Tiago Nunes deixou claro carinho que guarda carinho pelo clube curitibano.


"Tenho certeza que um dia eu vou voltar para o Athletico-PR. Se vai ser daqui a 10, 20, 30 anos ou numa outra vida, sei lá, mas isso vai acontecer porque a minha conexão com o Athletico é eterna", declarou o treinador em entrevista ao portal GE no ano passado.


Um ano e sete meses de sua saída, Tiago Nunes reencontrará um Athletico-PR que ainda mantém a forma de jogar semelhante a do seu tempo com o Antônio Oliveira, mas que tem poucos remanescentes da conquista da Copa do Brasil. A provável escalação para a partida deste domingo tem apenas três nomes que atuaram no Beira-Rio naquele 18 de setembro de 2019: o goleiro Santos, o lateral Khellven e o atacante Nikão.


"O Athletico-PR tem uma filosofia de jogo implementada pelo Paulo Autuori ainda em 2016, que é de que todos os times, do sub-15 ao profissional, joguem de forma ofensiva e tentando se impor sobre os adversários. Por isso, não tem muita diferença em termos de pensamento do Tiago Nunes para o Antônio Oliveira. É um 4-2-3-1 com bastante ataque pelos lados. O padrão é parecido, mas com diferença na saída de bola, que é mais lenta. Hoje, o Athletico-PR perdeu capacidade na transição e, por isso, sofre no setor de criação", analisa o setorista de Athletico-PR Fernando Freire.



Com Tiago Nunes na casamata, o Grêmio fez 10 jogos tendo somado oito vitórias e dois empates. O aproveitamento é de 86,6%.

#gremio #imortal #tricolor #tiagonunes #brasileirao

LEIA TAMBÉM: Após derrota para o Bragantino, Grêmio chega a 8 jogos sem gols e se isola como pior ataque no Brasileiro




Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

2/8/2021







1/8/2021









Tática Didática - 12:25 (10)

[ANÁLISE] Um Grêmio que não engrena