"São seguros", médico do Grêmio reforça confiança em protocolos

Delegação do Tricolor teve dois casos positivos e dois jogadores com sintomas, precisou mudar de país e data até enfrentar o Independiente del Valle nesta sexta, pela Libertadores


Fonte: Globoesporte.com

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Os casos confirmados de Covid-19 durante a semana não abalam a confiança do Grêmio nos protocolos montados para as atividades durante a pandemia. O médico Márcio Dornelles reforça que os procedimentos estão dentro do padrão adotado pelo clube desde o ano passado.



Após dias de polêmicas, o Tricolor entra em campo nesta sexta-feira, às 19h15, em Assunção, no Paraguai, para enfrentar o Independiente del Valle. A partida é a primeira da terceira fase da Libertadores, que dá uma vaga aos grupos.


O jogo seria no Equador, na quarta. Mas o elenco passou por testes de coronavírus ao chegar em Quito e teve dois casos positivos detectados: o goleiro Paulo Victor e o lateral Vanderson.


Imediatamente, a dupla foi afastada dos demais. Mesmo assim, as autoridades daquele país impediram o elenco de treinar fora do hotel e solicitaram o adiamento da partida.


No dia seguinte, Victor Ferraz e Emanuel apresentaram sintomas da doença. Porém, tiveram resultados negativos nos testes realizados. Aliás, toda a delegação que chegou ao Paraguai na última quarta está negativada.


"Nossos protocolos são seguros e está se demonstrando isso com os resultados nestes momentos. Se recordar desde o início, já fizemos mais de 5 mil testes e não tivemos grandes números de infectados. Já está provado que é seguro, tanto que fazemos muitos testes e assim que encontramos caso suspeito, afastamos. Podemos fazer ajustes necessários, principalmente com alguns decretos internacionais, mas não temos dúvida. São os resultados do Grêmio na pandemia que dizem isso", garante o médico Márcio Dornelles.


Nos últimos 13 dias, o Grêmio divulgou cinco casos de Covid-19 no clube. As infecções começaram no dia 25 de março, com o caso positivo do zagueiro Paulo Miranda. Depois, foi a vez do preparador físico Réverson Pimentel, que já retornou ao trabalho no CT Luiz Carvalho.


O ambiente parecia estabilizado até o último domingo, quando o técnico Renato Portaluppi apresentou sintomas da doença. Ele foi vetado pelo departamento médico da viagem ao Equador e realizou um teste na segunda-feira, que confirmou a presença do vírus da Covid-19.


"Não nos sentimos pressionados em momento algum, seguimos realizando o nosso trabalho e seguindo as diretrizes e decretos que nos são exigidos. Tivemos os casos no Equador, mas estávamos controlados e orientados".


"Todo o caso, quando é positivo, tentamos rastrear e buscar informações. Mas é difícil dizer de onde foi, a não ser que tenha contato próximo com outro. Tentamos fazer, mas as pessoas convivem, têm sua vida fora do clube. O que podemos fazer é tentar que, ao apresentar o primeiro sinal, afastar o atleta ou funcionário e começar o monitoramento. Fazemos testes praticamente todos os dias. Se formos ver, é um protocolo rígido", complementa Dornelles.



Enfim liberado para atuar, o Grêmio entra em campo às 19h15 desta sexta-feira, no jogo de ida da terceira fase da Libertadores contra o Independiente del Valle. A partida ocorrerá no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai.

#gremio #imortal #tricolor #protocolos #covid

LEIA TAMBÉM: Grêmio usa esteira com tecnologia da Nasa para aprimorar recuperação dos atletas lesionados

Grêmio vê Douglas Costa animado por retorno e tem emissário na Europa para monitorar liberação




Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

13/5/2021





























12/5/2021