Ligação na palestra, pedido inusitado e oferta ao rival: por que o Cruzeiro não negociou Orejuela com o Grêmio


Fonte: GZH

Foto: Jefferson Botega
Uma ligação inesperada causou incômodo na direção do Grêmio horas antes da semifinal da Copa do Brasil, contra o São Paulo, na noite de 30 de dezembro. Enquanto se dirigia para a palestra do técnico Renato Portaluppi, o presidente Romildo Bolzan Júnior recebeu um telefonema de Belo Horizonte. Era o mandatário do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, comunicando o cancelamento da negociação pelo lateral-direito Orejuela.

As partes já haviam chegado a um acordo semanas antes da decisão. Por 50% dos direitos econômicos, o Grêmio pagaria R$ 18 milhões em oito parcelas distribuídas ao longo de dois anos. Contudo, dois dias antes do fim do empréstimo do atleta, o Cruzeiro decidiu desfazer o negócio e passou a exigir um valor maior e à vista, o que foi prontamente rechaçado pela direção gremista.

— Estava tudo certo entre Grêmio e Cruzeiro. No dia 30, o (CEO do Grêmio, Carlos) Amodeo me ligou dizendo que eles (Cruzeiro) tinham mudado o contrato e que desta maneira o negócio seria inviável. Liguei para o Cruzeiro, e eles me confirmaram (a desistência), pois disseram que tinham um outro negócio em vista, que seria mais vantajoso. Só que até hoje este negócio não foi feito — explica Vinícius Prates, empresário do jogador, a GZH.

De acordo com a imprensa mineira, o novo interessado é o Atlético-MG, que estaria disposto a pagar valores mais atrativos do que o Grêmio. Segundo o UOL, foi o próprio Cruzeiro quem ofereceu o jogador ao arquirrival esperando receber valores mais altos e à vista para estancar a gravíssima crise financeira pela qual passa o clube, com dívidas que chegam à casa de R$ 1 bilhão.

Até agora, contudo, o Atlético-MG não formalizou proposta. Enquanto isso, o jogador recupera-se de uma lesão na coxa esquerda em uma clínica particular de Porto Alegre, já que o contrato com o Grêmio expirou.

O problema médico de Orejuela, aliás, foi outro ponto que causou desconforto entre as partes. Segundo Vinícius Prates, o clube mineiro poderia exercer uma cláusula de prorrogação automática do empréstimo ao Tricolor até o final do Brasileirão para que o jogador concluísse a sua recuperação no clube gaúcho.

Desta forma, o lateral poderia inclusive disputar as finais da Copa do Brasil pelo Tricolor se tivesse condições físicas. Contudo, os mineiros teriam "desconfiado" da lesão e fizeram um pedido considerado inusitado.

— O Cruzeiro enviou uma notificação ao Grêmio pedindo o retorno imediato do atleta. Quando eu perguntei onde o jogador realizaria o tratamento da lesão, o Cruzeiro disse que ele teria de viajar a Belo Horizonte para ser examinado para só então eles decidirem se prorrogariam o empréstimo ou não, mesmo com o Grêmio tendo enviado todos os laudos médicos. Isso é um absurdo. Parecia que eles estavam duvidando da lesão. Eles não estão preocupados com a saúde do jogador — declarou Prates.

Na próxima semana, Orejuela viajará para Belo Horizonte para definir o seu futuro. Contudo, o Cruzeiro não tem condições financeiras para arcar com o salário do colombiano e ainda não comunicou ao atleta qual será o seu destino.

A amigos, o lateral revelou que o seu desejo é ficar no Grêmio, clube onde se sentiu feliz em 2020. Contudo, incomodada com a postura do Cruzeiro nas tratativas, a direção do Grêmio considera o assunto encerrado.

— Não temos mais interesse em retomar a negociação com o Cruzeiro. Não há mais clima e ambiente entre as partes — afirma a GZH o vice de futebol do Grêmio, Paulo Luz.






Grêmio, Orejuela, Negociação

LEIA TAMBÉM: [COMENTE] Para você, o Grêmio deve negociar a saída do atacante Pepê?

LEIA TAMBÉM: Jean Pyerre é flagrado em festa e vídeo viraliza; clube se manifesta





Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

27/1/2021














26/1/2021