Quantos milhões a dupla Gre-Nal pode faturar se decidir romper com a Globo? Confira


Fonte: JB Filho Repórter

A Medida Provisória assinada pelo presidente Bolsonaro ainda precisa ser confirmada pelo Congresso para permanecer. Mais, os contratos de praticamente todos os clubes já estão assinados até o final do Brasileirão de 2024. Então, vamos ter que esperar um bom tempo para uma grande mudança na relação dos clubes com as transmissões do futebol.



LEIA TAMBÉM: Trio paulista é quem mais gasta com comissões e empresários; veja quanto seu clube desembolsou


Mesmo assim, resolvi projetar um cenário hipotético de como pode ser a nova realidade onde cada clube poderá vender os direitos de transmissão do seu jogo em casa individualmente.

Primeiro é importante dizer que a Globo paga algo em torno de R$ 1 bilhão para transmitir o Brasileirão nas suas várias plataformas, seja tv aberta, fechada e PPV. E todas as mudanças tentadas até agora deram muito errado. Seja quando a Record tentou e agora com a TV Esporte Interativo.

Importante mostrar também que os clubes ganham uma grana bem interessante. Aqui uma lista de valores do Brasileirão do ano passado:

• Flamengo: R$ 187 milhões (R$ 33 milhões por ter sido campeão)
• Corinthians: R$ 165 milhões
• Grêmio: R$ 99,6 milhões
• Inter: R$ 85,5 milhões

Mas vamos lá. Vamos estimar que Grêmio e Inter lancem um player pra transmitir seus jogos em casa.

O Premiere tem 1,8 milhão de assinantes. Sendo que, segundo uma pesquisa do UOL, 7% dos assinantes são gremistas e 5% são colorados. Isso dá 130 mil gremistas e 90 mil colorados.

Em 2019, estes foram os valores aproximados que a dupla ganhou:

• O Grêmio ganhou R$ 46 milhões do PPV na temporada, média de R$ 3,8 milhões por mês.
• Já o Inter ganhou R$ 30 milhões do PPV na temporada, média de R$ 2,5 milhões por meses.

E o preço médio do Premiere é de R$ 80,00 mês, vou projetar o pagamento de metade disso, R$ 40,00. Afinal, este player valeria apenas para as partidas em Beira-Rio ou Arena.

Assim ficariam os valores mensais:

• Grêmio: 130 mil assinantes pagando R$ 40,00 = R$ 62 milhões por ano ou R$ 5,2 milhões por mês.
• Inter: 90 mil assinantes pagando R$ 40,00 = R$ 43 milhões por ano e R$ 3,6 milhões por mês

Ou seja, tomando como base apenas este exemplo, apostar em uma transmissão própria para as partidas em casa, poderia render R$ 1 milhão a mais por mês para os clubes.

Porém, não podemos desconsiderar alguns fatores fundamentais:

• Estou considerando um valor de R$ 40,00 mensal. A metade do que se paga hoje porque teria a metade dos jogos. O Netflix, por exemplo, custa R$ 21,90.
• Fazer a transmissão geraria custos para o clube que hoje não existem. São no mínimo 13 câmeras, caminhão de transmissão, narrador, repórter, comentarista, enfim. Uma equipe.
• E talvez a mais importante: hoje os clubes tem milhões garantidos com os contratos existentes. Uma mudança destas seguramente terá impacto pelo que a Globo paga na tv aberta, o Sportv e o próprio Pay-per-View.



É óbvio que a mudança pode ser muito interessante lá na frente. Principalmente quando a internet for melhor, com 4G ilimitado e com preço justo. Mas, por enquanto, não dá pra dizer que os contratos que existem são ruins.


Grêmio, Financeiro, Globo, Rompimento, Contrato, Brasileirão, Inter, Imortal

Grêmio se afunda ainda mais em noite terrível no Chile e sente clamor por mudanças

Grêmio é recebido com protesto na Arena após derrota na Libertadores





Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

22/9/2020









21/9/2020










Técnico mais longevo da Série A - 09:42 (0)

Renato Gaúcho completa 4 anos de Grêmio