Variações na manga: a análise dos esquemas de Enderson no Grêmio

Técnico mantém 4-2-3-1 como formação preferida, e usa 3-6-1 e 4-1-4-1


Fonte: Diário Gaúcho

No esquema 3-6-1, Luan pode atuar como falso centroavante, no lugar de Barcos
Foto: LUCAS UEBEL / Grêmio,Divulgação


Além de aumentar o entrosamento do grupo do Grêmio, Enderson Moreira também utiliza a intertemporada para criar variações táticas para a retomada do Brasileirão e a disputa da Copa do Brasil. Com mais de duas semanas de treinos no suplementar do Olímpico e no CT do Humaitá, o treinador consolidou como formação preferencial o 4-2-3-1, com uma linha de três articuladores liderada por Giuliano.

Também trabalhou no 4-1-4-1, com Matheus Biteco como único volante e quatro meias ofensivos, mais próximos da área. E nesta semana também inovou ao alinhar o 3-6-1, colocando Matías Rodríguez e Zé Roberto como alas e Luan como um falso centroavante, no lugar de Barcos. Confira quais são as vantagens e desvantagens e que possibilidades cada formação dá ao time.

4-2-3-1

Esquema favorito de Enderson Moreira, é o que propicia maior equilíbrio. Na defesa, é sustentado pela nova dupla de zaga, Rhodolfo e Geromel, e pelos laterais Pará e Breno. Mas o principal diferencial é o meio-campo. Os volantes Matheus Biteco e Ramiro são os responsáveis pela marcação e por facilitar a saída de bola. E o trio de meias, formado por Giuliano, Luan e Alán Ruiz (ou Dudu) é encarregado de dar rapidez e técnica na transição ao ataque e também de criar oportunidades para Barcos.

4-1-4-1

Trata-se de uma opção mais ofensiva para armar a equipe. Afinal, neste esquema, o meio-campo fica com apenas um volante de ofício, que, no caso, é Matheus Biteco. A linha de articuladores é composta por meias de chegada na área: Giuliano, Alán Ruiz, Luan e Dudu. Mas Ramiro e Fellipe Bastos também podem ser utilizados, dando maior suporte de marcação, alternando tarefas de ataque e de defesa. Na frente, Barcos se beneficiaria pela proximidade dos meias, o que criaria tabelas ou jogadas em profundidade.

3-6-1

É a novidade testada por Enderson até o momento. O trio de zagueiros, com o retorno de Werley, daria boa sustentação ao sistema defensivo. Os laterais de ofício, Pará e Breno, dariam espaço para dois alas, Matías Rodríguez e Zé Roberto, com mais liberdade para atacar. Outra mudança é a utilização de Fellipe Bastos junto a Giuliano, com ambos responsáveis pela marcação. A novidade é a saída de Barcos, dando vaga a Luan, que seria um falso centroavante. Alán Ruiz e Dudu ajudariam nas tarefas ofensivas.



VEJA: Clique aqui e veja as promoções que a Network BG preparou para você acompanhar todos os jogos da temporada

LEIA TAMBÉM: Renato tem renovação para 2020 próxima de ser concretizada

Clique aqui e confira séries, comentários, filmes e tudo sobre futebol! Teste agora!<\a>



Comentários




Leia também

13/12/2019











12/12/2019