Renato consolidado, títulos e poucos remanescentes: o que mudou em Grêmio e Athletico-PR desde 2016

Quase três anos depois da classificação tricolor nos pênaltis, equipes se reencontram pela Copa do Brasil


Fonte: -

Títulos continentais, treinador com mais de um ano no cargo e uma vaga na final da Copa do Brasil. O confronto entre Grêmio e Athletico-PR, que terá seu primeiro duelo na próxima quarta-feira (14), terá todos estes ingredientes. Um cenário bem diferente ao de três anos atrás, quando as equipes viviam jejuns de títulos e projetos iniciais de trabalho, postos à prova nas oitavas de final da mesma competição.

— O Athletico vive um grande momento. Na minha chegada, em 2016, também estava vivendo um grande momento. Tenho boas recordações, pois eliminamos o Athletico nos pênaltis, na Arena — relembrou o técnico Renato Portaluppi neste fim de semana.


O próprio treinador foi um dos grandes personagens daquele 21 de setembro de 2016. Ídolo da torcida como jogador, Renato iniciava exatamente naquela noite sua terceira passagem à frente do clube, substituindo Roger Machado.

O Tricolor havia vencido o jogo de ida, em Curitiba, por 1 a 0, com gol de Miller Bolaños. Na volta, bastava um empate para carimbar a passagem gremista à próxima fase. Porém, o que se viu foi um jogo extremamente tenso. Em falha do goleiro Marcelo Grohe (hoje no Al-Ittihad, da Arábia Saudita), o centroavante André Lima marcou para os paranaenses. No segundo tempo, a torcida ainda descontaria sua insatisfação no atacante Henrique Almeida que, substituído no início do segundo tempo, mostrou o dedo do meio para as arquibancadas. A vitória do Athletico no tempo normal levaria a disputa para os pênaltis e consagraria Grohe, que defendeu duas cobranças e assistiu a uma ir para fora e outra, de Paulo André, bater no travessão.

Era o início de uma caminhada que resultaria não só na taça da Copa do Brasil daquele ano, encerrando com um jejum de 15 anos sem títulos nacionais, como abriria caminho para conquistas internacionais: a Libertadores de 2017 e Recopa de 2018. De lá para cá, muita coisa mudou e apenas quatro jogadores com status de titular permanecem no elenco: Geromel, Kannemann, Maicon e Luan — aliás, o zagueiro argentino fazia apenas o seu oitavo jogo com a camisa gremista naquela noite.


Do lado paranaense, que também veio a conquistar a Copa Sul-Americana e a Copa Suruga recentemente, as mudanças são ainda maiores. Para se ter uma ideia, o lateral-direito Rafael Galhardo, que era reserva do Athletico, hoje está no Grêmio. O elenco foi sendo modificado ao longo dos anos, tanto que o único remanescente é o zagueiro Thiago Heleno — mas o defensor não joga há mais de 100 dias, depois de ter sido suspenso por doping. Técnico naquela ocasião, Paulo Autuori chegou a ser transformado em diretor, e hoje está no Santos. Atualmente, o cargo é ocupado por Tiago Nunes, que em 2016 dirigia o São Paulo-RG na Série D do Campeonato Brasileiro.

Confira as escalações dos times no jogo da volta em 2016, na Arena:
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace e Maicon; Luan, Douglas e Pedro Rocha (Batista); Henrique Almeida (Guilherme).
Técnico: Renato Portaluppi

ATHLETICO-PR: Wéverton; Zé Ivaldo, Thiago Heleno e Paulo André; Léo, Hernani, Otávio e Nicolas; Luan (Juninho), Pablo (João Pedro) e André Lima (Marcos Guilherme).
Técnico: Paulo Autuori


LEIA TAMBÉM: Grêmio se reapresenta com treino fechado e inicia concentração para pegar o Palmeiras

LEIA TAMBÉM: Renato diz que empate foi merecido e já projeta decisão com Palmeiras: "Eles são letais"

Clique aqui e confira séries, comentários, filmes e tudo sobre futebol! Teste agora!<\a>

VEJA:
Clique aqui e veja as promoções que a Network BG preparou para você acompanhar todos os jogos do Grêmio da temporada

Comentários



Gostaria de saber quando Marcelo Grohe volta!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

20/8/2019






19/8/2019