OFF - Após reunião entre governo e clubes, projeto das dívidas deve ter mudanças

Grupo de trabalho com integrantes de órgãos do governo e dos clubes é criado para redefinir alguns pontos do texto que tramita no Congresso Nacional


Fonte: Globo Esporte

Dirigentes de clubes se reuniram com a presidente Dilma (Foto: Roberto Stuckert / PR)

O projeto de renegociação das dívidas dos clubes, que tramita no Congresso Nacional, deve passar por mudanças. Após reunião entre a presidente Dilma Rousseff e representantes de 12 times, em Brasília, foi criada uma comissão com membros dos ministérios do Esporte e da Fazenda, da Advocacia-Geral da União (AGU) e dos clubes para rediscutir alguns pontos e apresentar propostas de alterações no texto que aguarda votação no plenário da Câmara dos Deputados.

A ideia principal - alongamento no prazo para a quitação dos débitos em troca da adoção de medidas como o "fair play financeiro", que pune esportivamente clubes que atrasarem pagamentos - será mantida. No entanto, devem ser ajustadas algumas questões como a definição da taxa de juros que será aplicada - Selic (mais alta) ou TJLP (mais baixa) - e a retirada do texto de questões que não estão relacionadas diretamente à renegociação das dívidas.

- Vamos pegar o projeto da renegociação das dívidas e fazer um pente fino em cima das reuniões que tivemos e acertar algumas questões. Tem uma discussão sobre a taxa Selic, TJLP. Acredito que tem cerca de 10% que tem que mexer para se chegar a um consenso do que é possível fazer ou não - afirmou o secretário de Futebol do Ministério do Esporte, Toninho Nascimento.

- A questão da loteria, entendemos que deve ser retirada do projeto - completou o presidente do Coritiba, Vílson Ribeiro de Andrade.

Uma reunião com representantes dos clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro será realizada na CBF já no início da próxima semana para definir um posicionamento final em relação ao projeto. O objetivo do governo é ter uma proposta definitiva até a próxima sexta-feira para que o texto seja votado no plenário da Câmara dos Deputados até o mês de setembro.

- Esperamos em uma semana ter um texto conjunto para dizer, isso aqui é o projeto... Nós temos que correr, pois tem clube que não chega ao final do ano se esse projeto não for aprovado. Temos poucas datas para votação, uma em agosto e outra setembro. Imagino que para agosto está muito em cima, mas não para setembro
- concluiu o secretário Toninho Nascimento.

Grêmio se afunda ainda mais em noite terrível no Chile e sente clamor por mudanças

Grêmio é recebido com protesto na Arena após derrota na Libertadores





Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

19/9/2020











18/9/2020